Notícias

Ato Assunto
MPAM prestigia homenagem ao Presidente do TRE-AM

JUSSARA WELLINGTON a8600

O Desembargador recebeu a Medalha do Mérito Ruy Araújo, que homenageia profissionais por contribuição à população do Amazonas

 

O Ministério Público do Amazonas (MPAM), representado por sua Ouvidora-Geral, a Procuradora de Justiça Jussara Maria Pordeus e Silva, prestigiou a cerimônia que homenageou o Desembargador Wellington José de Araújo, presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), com a Medalha do Mérito Ruy Araújo. A sessão ocorreu nesta quarta-feira (04/05), no Plenário Ruy Araújo, na sede da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam).

"A medalha significa o reconhecimento de mais de quarenta anos de serviços prestados ao Poder Judiciário, à população amazonense e das inovações realizadas na gestão à frente da Presidência do TRE-AM", destacou a Procuradora de Justiça Jussara Maria Pordeus e Silva.

A Medalha do Mérito Ruy Araújo, que foi instituída pela Resolução Legislativa nº 105/81, é a maior comenda outorgada pelo Poder Legislativo Estadual e homenageia profissionais das áreas jurídicas, cultural ou política dos amazonenses, por contribuição à população do Amazonas.

MPAM discute importância do aumento das taxas de vacinação infantil em Talk Show

talkshow vacina criança c141c

O evento foi realizado, na terça-feira (03/05), e transmitido pelo Canal do MPAM no YouTube

 

O Ministério Público do Amazonas (MPAM) realizou, na terça-feira (03/05), o *talk show* virtual com o tema “Vacinação de Crianças”. A abertura do evento foi realizada pela Procuradora de Justiça, Silvana Nobre de Lima Cabral, coordenadora do CAO-PDC, e mediado pela Assessora de Comunicação do MP, Daniela Bragança. A roda de conversa foi aberta a membros e servidores do MPAM, além do público externo, que puderam acompanhar a transmissão pelo Canal do MPAM no YouTube.

“O *talk show* foi uma forma que o MP encontrou de dialogar com a sociedade de forma simples e objetiva, mas sempre trazendo temas relevantes. Foi decidido por esse tema depois que observamos uma baixa procura de pais ou responsáveis em vacinar seus filhos e com isso a diminuição das taxas de vacinação, o MP quer conscientizar a população da importância de aumentar esses números”, explicou a Procuradora de Justiça Silvana Nobre de Lima Cabral.

O evento contou com a participação de convidados como Felipe Gomes Naveca, Coordenador da Vigilância Genômica do SARS-CoV-2 no Amazonas (Fiocruz), a Promotora de Justiça, Luissandra Chíxaro de Menezes, titular da 58° Promotoria de Justiça da Saúde Pública, e Tatyana Costa Amorim Ramos, Diretora–Presidente da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP/AM).

PGJ é homenageado pela PM-AM em comemoração aos 185 da Corporação

MEDALHA 2 dfc1a

O evento reconheceu personalidades que se destacaram no apoio à PM-AM

 

No Dia de Tiradentes e aniversário da Polícia Militar do Amazonas (PM-AM), o Procurador-Geral de Justiça, Alberto Rodrigues do Nascimento Júnior, representou o Ministério Público do Amazonas (MPAM), na solenidade de Formatura Geral em comemoração aos 185 anos da Corporação na noite desta quinta-feira, 21, no Teatro Amazonas, Centro de Manaus.

Na comemoração, o PGJ recebeu medalha como forma de homenagem e reconhecimento à atuação ministerial no aperfeiçoamento e projeção da PM-AM.

“Quero compartilhar a medalha que recebi com todos os membros do Ministério Público do Amazonas, que dedicam suas vidas ao cumprimento da justiça e ao Direito da nossa gente,” destacou o PGJ, enaltecendo todo trabalho desenvolvido pelas áreas do MPAM.

O evento foi presidido pelo Comandante-Geral da PM-AM, Coronel Vinícius Almeida e contou com a presença do Governador Wilson Lima, policiais militares, autoridades e personalidades de todo o Estado.

“Esta Formatura, sem dúvida, é uma das mais importantes porque celebra o aniversário da nossa corporação. Tivemos a presença do nosso Governador, Wilson Lima, e de outras autoridades. Além de ser marcada pela entrega das medalhas, como uma forma de agradecimento e homenagem aos serviços prestados à sociedade amazonense”, disse Almeida.

MPAM quer correção de irregularidades no parque de imagem do HPS 28 de Agosto

HPS Vinte Oito Agosto 89e6c

O Ministério Público do Amazonas, pela 58ª Promotoria de Justiça da Saúde,
está buscando solucionar, extrajudicialmente, uma série de irregularidades no funcionamento do parque de imagens do Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto. A investigação teve início no ano passado, com o Inquérito Civil n° 06.2020.00000092-0, e toma por base informações encaminhadas ao órgão ministerial pelo Departamento de Vigilância Sanitária (Visa-Manaus).

"Diante do apurado até o momento, temos como imprescindível que a direção do HPS 28 de Agosto informe as providências adotadas para a resolução das irregularidades apontadas no Auto de Infração nº 033227, por descumprimento ao termo de intimação nº 025940 e do auto de infração de nº 038580, exarados pelo Departamento de Vigilância Sanitária (Visa-Manaus) em 18 de junho de 2020", informou a Promotora de Justiça Luissandra Chíxaro de Menezes

Dentre as medidas corretivas indicadas pela Vigilância Sanitária, destacam-se o levantamento radiométrico das salas com equipamentos emissores de radiação ionizante; elaboração de cronograma e registros de manutenção dos
equipamentos emissores de radiação ionizante; e a apresentação de documentos que comprovem o treinamento da equipe, os registros de testes mínimos de controle de qualidade dos equipamentos e os registros de controle ocupacional dos funcionários expostos à radiação ionizante.

Além disso, a direção do HPS 28 de Agosto deve, ainda, providenciar todos os itens necessários para o suporte imediato à vida, como registros de checagem do desfibrilador e dos produtos, e dos medicamentos e lacre para carrinho de emergência da tomografia, procedendo à padronização dos procedimentos operacionais e a definição de responsabilidades nas checagens diárias do carrinho de tomografia.

MPAM prestigia cerimônia de posse de novos defensores públicos

possedefensores 1cbee

Os empossados iniciaram sua atuação no mutirão de atendimentos da Defensoria Itinerante, no Largo de São Sebastião

O Procurador-Geral de Justiça do Amazonas, Alberto Rodrigues do Nascimento Júnior, prestigiou, na quinta-feira (28/07), a cerimônia de posse de 15 novos defensores públicos. Os empossados iniciaram sua atuação no mutirão de atendimentos promovido pela Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM), que ocorre até sexta-feira (29/07), no mesmo local da cerimônia de posse, no Largo de São Sebastião, Centro.

"De forma semelhante à do Ministério Público do Amazonas, a Defensoria Pública do nosso estado também vem avançando na melhoria da qualidade dos serviços prestados à população do interior do Amazonas. Na qualidade de Procurador-Geral de Justiça só posso reconhecer e me congratular com a DPE-AM nesse feito", afirmou o PGJ.

A cerimônia foi conduzida pelo Defensor Público-Geral, Ricardo Paiva. Com a posse dos novos membros, a DPE-AM totaliza 145 integrantes, reflexo do investimento feito nos últimos anos para o fortalecimento institucional e de atendimento à população. Nos dois últimos anos, 41 defensores tomaram posse, para reforçar, principalmente, a assistência aos moradores de municípios do interior.

Estiveram presentes no evento o Controlador-Geral do Estado, Otávio Gomes, representando o Governo do Estado; o Desembargador Elci Simões, representando o Tribunal de Justiça do Amazonas; o secretário municipal chefe da Casa Civil, Rafael Bertazzo, representando a Prefeitura de Manaus; o presidente do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas, conselheiro Érico Desterro; a Presidente da Associação das Defensoras e Defensores Públicos do Estado do Amazonas, Melissa Credie Borborema; a Presidente da Associação Nacional das Defensoras e Defensores Públicos, Rivana Ricarte e o Arcebispo de Manaus, Dom Leonardo Steiner.

CPJ abre inscrição para formação de lista tríplice visando a indicação do Procurador-Geral de Justiça para o biênio 2022-2024

fachada250722 57903

Pela primeira vez, a eleição destinada à formação de lista tríplice para indicação do PGJ será realizada de forma virtual, por meio do sistema Votus

O Colégio de Procuradores de Justiça (CPJ) do Ministério Público do Amazonas abre, nesta segunda-feira (1.º/08), o prazo de inscrição para candidatos à lista tríplice visando a indicação ao cargo de Procurador-Geral de Justiça do Amazonas para o biênio 2022-2024. O edital de inscrição foi publicado no Diário Oficial Eletrônico da última sexta-feira (29/07). O prazo para registro das candidaturas vai do dia 1.º a 05/08.

A eleição destinada à formação de lista tríplice, visando a indicação do PGJ para o biênio 2022-2024, será realizada no próximo dia 1.º/09, das 8h às 16h, de forma virtual, por meio do sistema Votus. Os pedidos de registro de candidaturas devem ser encaminhados, via requerimento, ao Procurador-Geral de Justiça acompanhados de fotografia para utilização no sistema de votação.

A votação é facultativa, direta, secreta e plurinominal, permitindo a indicação de até três candidatos. Podem votar todos os integrantes da carreira do MPAM em efetivo exercício da função. A cédula eletrônica de votação estará disponível no sítio eletrônico institucional e será acessada mediante link encaminhado previamente aos membros ministeriais, via E-mail institucional.

Acesse aqui as Edições do Diário Eletrônico do MP com o edital de inscrição , p. 01, e as resoluções que regulamentam a matéria, p. 08.

MPAM deflagra Operação Espólio para cumprir mandados de prisão preventiva de policiais militares

operação espólio a40f4

A operação investiga policiais militares por suposta prática de extorsão qualificada, roubo, cárcere privado, violação de domicílio e organização criminosa. 

O Ministério Público do Amazonas (MPAM), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), deflagrou, na manhã desta sexta-feira (29), a Operação Espólio, com a finalidade de cumprir mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão deferidos pela Auditoria da Justiça Militar. A operação investiga policiais militares por suposta prática de extorsão qualificada, roubo, cárcere privado, violação de domicílio e organização criminosa.

“O modus operandi consistia, até o momento do que foi apurado, em conhecimento do histórico da vítima. Alguma passagem policial, algum problema com a Justiça, e, a partir desse contexto, havia aquela abordagem inicial, tentando sondar a situação da vítima, sua situação patrimonial e, a partir disso, tentar extorquir ganhos patrimoniais em cima da vítima, com temor de uma eventual prisão forjada ou qualquer outra situação que pudesse complicar a esfera jurídica da vítima”, explicou o Promotor de Justiça Iranilson de Araújo Ribeiro, membro do Gaeco que conduziu o procedimento.

Apesar da operação já ter sido deflagrada, ainda há o oferecimento de denúncia, momento em que os acusados devem ser ouvidos e, com base nessa investigação, passar para fase judicial. Segundo o Coordenador do Gaeco e Promotor de Justiça, Igor Starling, a atuação do Gaeco não se limita à investigação dos cinco policiais.

“Até o momento, foram cumpridos cinco mandados de prisão. A investigação apura conduta de policiais militares que, em tese, teriam praticado os fatos criminosos que justificaram as medidas cumpridas nessa data. Nesse contexto, o GAECO continua investigando, buscando a individualização das condutas e a consequente responsabilização dos envolvidos", explicou o Coordenador do Gaeco e Promotor de Justiça, Igor Starling.

MPAM ajuíza ACP para obrigar município de Manaus a revitalizar área do bairro Educandos devastada pelo fogo, em 2018

incendio educandos 61084

A Ação requer também reparação do dano moral coletivo no valor de R$ 300 mil a ser revestido ao Fundo Estadual do Meio Ambiente

O Ministério Público do Amazonas (MPAM), por meio da 63ª Promotoria de Justiça da Ordem Urbanística (63ª Prourb), ajuizou Ação Civil Pública (ACP), com pedido de tutela de urgência, para obrigar o município de Manaus a providenciar a revitalização da área degradada pelo fogo, em 2018, no bairro Educandos. O incêndio, que aconteceu em 17 de dezembro de 2018, é considerado o segundo maior na história do Amazonas e deixou cerca de 600 famílias desabrigadas. A ACP foi ajuizada pelo Promotor de Justiça Paulo Stélio Sabbá Guimarães, na quarta-feira (27/07).

“Além da atenção às vítimas da tragédia, há também a obrigação do Município de providenciar a reparação da área ambientalmente degradada. Instauramos um Inquérito Civil para apurar e acompanhar essas ações. Foram feitas diversas requisições ao Município, inclusive sobre o suposto Projeto de Revitalização da área, porém, nenhuma resposta ou providência foi obtida. Diante disso, tornou-se necessário o ajuizamento da presente ação”, explicou o Promotor de Justiça.

Com a Ação, o MP busca a condenação do Município nas seguintes obrigações: apresentar em juízo, no prazo máximo de 15 dias, o suposto Plano de Revitalização Urbana e Ambiental, a ser fiscalizado pelo órgão competente e pelo MPAM sob pena de multa diária de R$10 mil; executar as ações necessárias para a reabilitação ambiental e urbanística da área, assim como a retirada de todos os resíduos poluentes; e a reparação do dano moral coletivo no valor de R$300 mil a ser revestido ao Fundo Estadual do Meio Ambiente.

Foto: Arquivo Semcom/PMM

MPAM ACONTECE: MP atinge 100% na avaliação dos Portais da Transparência pelo Conselho Nacional do Ministério Público

WhatsApp Image 2021-04-13 at 16.57.51 fe9d0

O Ministério Público do Amazonas atingiu 100% na avaliação dos Portais Transparência do MP relativa ao segundo semestre de 2020. O dado positivo, segundo o Subprocurador-Geral de Justiça, Geber Mafra Rocha, demonstra o compromisso da atual gestão e fortalece ainda mais a ética e a transparência perante a sociedade. O MPAM lidera o ranking conhecido como Transparentômetro por cumprir integralmente as determinações da Lei de Acesso à Informação e de resoluções do CNMP que tratam de transparência na divulgação dos dados.

O reconhecimento foi feito pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), que realiza sessões ordinárias ao longo de todo o ano, no julgamento de procedimentos, proposições de resoluções, recomendações e outros atos de sua competência, envolvendo o interesse de todas as unidades do Ministério Público brasileiro.

“O reconhecimento pelo CNMP do elevado índice de transparência do Ministério Público do Amazonas traduz o acerto da atual administração em suas ações, e também, revela nosso compromisso em informar para a sociedade o que fazemos e como realizamos nossa missão institucional. Toda a equipe da Subprocurador-Geral de Justiça para Assuntos Administrativos (SUBADM) está de parabéns pelo belo trabalho, agora reconhecido também em nível nacional. Os dados são institucionais, portanto, fruto da atuação dos membros e servidores, tendo como diferencial a motivação e o empenho da equipe do MPAM em demonstrar ao público em geral tal informação”, destacou o Subprocurador-Geral de Justiça.

GAJI

O Procurador-Geral de Justiça, Alberto Rodrigues do Nascimento Júnior, designou especificamente que o Gabinete de Assuntos Jurídicos Institucionais (GAJI) para estabelecer uma interlocução próxima com o Conselho Nacional do Ministério Público, com o propósito, inclusive, de se antecipar a eventuais demandas provenientes do órgão de controle externo.

“Isso revela um padrão de qualidade assumido pelo Ministério Público do Amazonas, criando um ambiente administrativo mais aberto, transparente, responsável e eficiente. Nosso objetivo à frente da Procuradoria-Geral de Justiça será sempre no sentido de garantir essa expansão de transparência perante o cidadão e a sociedade amazonense”, declarou o Procurador-Geral de Justiça Alberto Rodrigues do Nascimento Júnior.

O GAJI, que tem à frente o Promotor de Justiça João Gaspar Rodrigues, além de atender a todas as demandas geradas pelo Conselho Nacional do Ministério Público, acompanha as sessões ordinárias e extraordinárias, com a finalidade de reunir a jurisprudência e as orientações do órgão de controle e, assim, poder auxiliar a Administração Superior do Ministério Público do Amazonas na adequação proativa de suas rotinas e de seus expedientes, dentro do postulado de sua autonomia administrativa.

“Estamos realizando um trabalho de estruturação e consolidação de dados junto ao CNMP, de modo a agilizar e tornar mais produtiva a interlocução com o referido órgão. O acompanhamento metódico e regular das sessões nos confere material para alimentar o propósito de uma atuação proativa, o que tem garantido avanços nessa relação institucional”, declarou o promotor João Gaspar.

Avaliação

O índice foi alcançado pelo MPAM e os Ministérios Públicos dos estados do Acre, Alagoas, Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Paraíba, Pará, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rondônia, Santa Catarina, Sergipe e Tocantins.

A avaliação é feita em todos os 31 Portais Transparência das unidades do Ministério Público no País e é realizada a cada seis meses pela Comissão de Controle Administrativo e Financeiro do CNMP. Ao todo, são analisados 318 itens de transparência para garantir o cumprimento da Lei Complementar nº 101/2000, da Lei de Acesso à Informação – LAI (Lei nº 12.527/11) e das Resoluções CNMP n° 74/2011, n° 86/2012, n° 89/2012 e n° 178/2017.

MPAM participa do Lançamento da Ouvidoria da Mulher

ouvidoriadamulher 53cbe

O objetivo é prevenir e combater a violência, especialmente política, contra mulheres

O Ministério Público do Amazonas (MPAM), representado por sua Ouvidora-Geral, a Procuradora de Justiça Jussara Maria Pordeus e Silva, participou do Lançamento da Ouvidoria da Mulher no Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM). O objetivo é prevenir e combater casos de assédio, discriminação e demais formas de abusos sofridos por mulheres, especialmente a violência política. O lançamento ocorreu durante a manhã da segunda-feira (02/05), comandado pelo presidente do TRE-AM, o desembargador Wellington José de Araújo, no Pleno da Corte.

“A Ouvidoria da Mulher, no âmbito do TRE-AM, será um importante espaço de recepção de demandas de violência de gênero, especialmente a violência política contra candidata ou quem exerce mandato eletivo, assim como diversos tipos de assédio, ainda mais em ano de eleições gerais”, enfatizou a Procuradora de Justiça Jussara Maria Pordeus e Silva.

A Ouvidoria passará a ser um serviço permanente para recebimento de denúncias de todas as mulheres, não apenas daquelas que exercem atividades junto à Justiça Eleitoral amazonense e os trabalhos reforçarão o avanço das ações da Justiça Eleitoral em relação ao cumprimento da legislação que busca concretizar a igualdade de gênero na política brasileira.

Estiveram presentes na solenidade a juíza-ouvidora Larissa Almeida Nascimento, representando o presidente do Tribunal Superior Eleitoral; representantes de entidades e instituições do Estado, entre eles, a Secretaria de Justiça e Cidadania do Governo do Estado; o ouvidor-geral do Município, Nonato Oliveira, e a Secretaria Geral da Ordem dos Advogados do Brasil (Seccional Amazonas).