Coronavírus: Informe-se

FOTO DO BANNER HOTSITE CORONA MPAM MENOR 3c794

 

Boletins atualizados sobre o Coronavírus no Amazonas. Fonte: SUSAM/FVS

WhatsApp Image 2020-03-23 at 15.01.06 75de3

 

24/03/2020

Feirantes da ADS oferecem serviço de delivery. Confira as alternativas. Clique Aqui

Coronavírus: de filmes grátis a sinfonias, a internet está cheia de boas alternativas para quem está em casa. Clique Aqui

 

23/03/2020

Decretado estado de calamidade no Estado do Amazonas. Governo anuncia medidas econômicas na luta contra o coronavírus.

clique aqui para ler a matéria

Portaria de Criação do Gabinete de Enfrentamento de Crise (GAB-MPAM/COVID-19). DOMP do dia 23/03/2020.

Clique aqui para ver a edição do DOMP e a Portaria.

 

Apresentação

Este espaço destina-se, em particular, a membros, servidores e estagiários do Ministério Público do Estado do Amazonas (MPAM) para que se informem sobre o COVID-19, conhecido como novo coronavírus, e sobre a pandemia que está atingindo vários países do Mundo, incluindo o Brasil e, ultimamente, o nosso Estado. As informações a seguir são captadas de fontes oficiais.

Medidas oficiais do MPAM em relação ao coronavírus

A Procuradoria-Geral de Justiça publicou Ato estabelecendo medidas administrativas com o objetivo de prevenir o contato com o vírus. Clique aqui para saber detalhes.

O que é coronavírus? (COVID-19)

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19, após casos registrados na China. Provoca a doença chamada de coronavírus (COVID-19).

Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa. A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo, as crianças pequenas, mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

 

O que você precisa saber e fazer para prevenir o contágio:

Lave as mãos com água e sabão ou use álcool em gel.

Cubra o nariz e boca ao espirrar ou tossir.

Evite aglomerações se estiver doente.

Mantenha os ambientes bem ventilados.

Não compartilhe objetos pessoais.

 

Período de incubação

Período de incubação é o tempo que leva para os primeiros sintomas aparecerem desde a infecção por coronavírus, que pode ser de2 a 14 dias.

 Período de transmissibilidade

De forma geral, a transmissão viral ocorre apenas enquanto persistem os sintomas. É possível a transmissão viral após a resolução dos sintomas, mas a duração do período de transmissibilidade é desconhecido para o coronavírus.

 Fonte de infecção

A maioria dos coronavírus geralmente infectam apenas uma espécie animal, ou, pelo menos um pequeno número de espécies proximamente relacionadas. Alguns coronavírus, como o SARS-CoV, podem infectar pessoas e animais. O reservatório animal para o coronavírus (COVID-19) ainda é desconhecido.

 Sintomas

Os sinais e sintomas do coronavírus são principalmente respiratórios, semelhantes a um resfriado. Podem, também, ocorrer infecção do trato respiratório inferior, como as pneumonias. No entanto, o coronavírus (SARS-CoV-2) ainda precisa de mais estudos e investigações para caracterizar melhor os sinais e sintomas da doença. Os principais são sintomas conhecidos até o momento são febre, tosse e dificuldade para respirar.

 Como é transmitido?

As investigações sobre as formas de transmissão do coronavírus ainda estão em andamento, mas a disseminação de pessoa para pessoa, ou seja, a contaminação por gotículas respiratórias ou contato, está ocorrendo. Qualquer pessoa que tenha contato próximo (cerca de 1m) com alguém com sintomas respiratórios está em risco de ser exposta à infecção. É importante observar que a disseminação de pessoa para pessoa pode ocorrer de forma continuada.

Alguns vírus são altamente contagiosos (como sarampo), enquanto outros são menos. Ainda não está claro com que facilidade o coronavírus se espalha de pessoa para pessoa.

 Apesar disso, a transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como:

  • gotículas de saliva;

  • espirro;

  • tosse;

  • catarro;

  • contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão;

  • contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

A transmissibilidade dos pacientes infectados por SARSCoV é em média de 7 dias após o início dos sintomas. No entanto, dados preliminares do coronavírus (SARS-CoV-2) sugerem que a transmissão possa ocorrer mesmo sem o aparecimento de sinais e sintomas.

 Até o momento, não há informações suficientes sobre quando, exatamente, uma pessoa infectada passa a transmitir o vírus.

 Não existe tratamento específico para infecções causadas por coronavírus humano. No caso do coronavírus é indicado repouso e consumo de bastante água, além de algumas medidas adotadas para aliviar os sintomas, conforme cada caso, como, por exemplo:

  • Uso de medicamento para dor e febre (antitérmicos e analgésicos).

  • Uso de umidificador no quarto ou tomar banho quente para auxiliar no alívio da dor de garganta e tosse.

 Assim que os primeiros sintomas surgirem, é fundamental procurar ajuda médica imediata para obter diagnóstico e iniciar o tratamento.

 Todos os pacientes que receberem alta durante os primeiros 7 dias do início do quadro (qualquer sintoma independente de febre), devem ser alertados para a possibilidade de piora tardia do quadro clínico e sinais de alerta de complicações como: aparecimento de febre (podendo haver casos iniciais sem febre), elevação ou reaparecimento de febre ou sinais respiratórios, taquicardia (aumento dos batimentos cardíacos), dor pleurítica (dor no peito), fadiga (cansaço) e dispneia (falta de ar).

 Se você viajou para a China nos últimos 14 dias e ficou doente com febre, tosse ou dificuldade de respirar, deve procurar atendimento médico imediatamente e informar detalhadamente o histórico de viagem recente e seus sintomas.

Fonte: Ministério da Saúde (MS)