MPAM e Vep querem mais empregos e cursos para presos do semiaberto

WhatsApp Image 2019-08-22 at 13.11.37 Reunião Proep Vep Seap

O Ministério Público do Amazonas, por meio da 23ª Promotoria de Justiça de Execução Penal, e a Vara de Execuções Penais, estão mobilizando esforços para ampliar a oferta de emprego e de cursos profissionalizantes para cerca de 2,5 mil pessoas condenadas que cumprem pena no regime semiaberto no Amazonas. Em reunião realizada nesta quinta-feira, 22/08, com representantes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário do Estado, a titular da 23ª Promotoria de Justiça de Execução Penal, Carla Guedes Gonzaga, defendeu a implementação das ações previstas na Lei de Execução Penal (Lei nº 7.210/84), a fim de garantir maior efetividade do cumprimento da pena nesse regime, em sua finalidade de ressocialização e reintegração social.

“Percebemos, eu, como representante do Ministério Público, e a Juíza do semiaberto Sabrina Ferreira, a necessidade de que a pena a ser cumprida nesse regime tenha sua finalidade de ressocialização e reintegração do individuo à sociedade melhor atendida. Neste sentido, entre os diversos pontos abordados, destacamos a existência de legislação municipal, estadual e federal que preveem a obrigatoriedade das empresas que licitam com o Estado de reservarem uma cota de vagas para os apenados e aos egressos do sistema prisional”, aponta a Promotora de Justiça.

Para a juíza Sabrina Ferreira, a reinserção dos presos traz benefícios à sociedade. “A ressocialização, além de trazer novas perspectivas de vida para o apenado, beneficia toda a sociedade com a redução dos indicadores de reincidência no crime”, apontou.

Outra questão apresentada aos participantes da reunião foi a necessidade de instalação de uma unidade para o regime semiaberto, tema que já é objeto de Ação Civil Pública interposta pelo MPAM.

Além da Promotora de Justiça Carla Guedes, participaram da reunião o presidente do TJAM, desembargador Yedo Simões, o secretário de Estado de Administração Penitenciária, tenente-coronel Vinícius de Oliveira; os juízes Ronnie Frank Torres e Sabrina Cumba Ferreira; o presidente da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa do Estado, deputado Cabo Maciel; o coordenador estadual do Programa Justiça Presente/CNJ, Ricardo Péres; o diretor do Regime Semiaberto do Seap, Tenente Emerson Tizatto e a diretora do Departamento de Ressocialização, Keyla Prado.

Texto: Milene Miranda – ASCOM MPAM

Foto: Acervo MPAM

Últimas Notícias
MPAM participa de operação para coibir criminalidade e exploração de menores em Borba

Notícias
A promotoria de Justiça de Borba, representada pela Promotora Marcelle Cristine Figueiredo, participou, no fim de...
Ação do MP e Defensoria busca melhor atendimento a vítimas de abuso sexual em Humaitá

Notícias
O Ministério Público do Amazonas (MPAM), por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Humaitá, uniu esforços com a...
Falhas no fornecimento de energia prejudicam funcionamento adequado das escolas ribeirinhas de Manaus

Notícias
O Ministério Público do Amazonas, pela 59ª Promotoria de Justiça da Educação (Prodhed), visitou, nesta...
MPAM acompanha situação do viaduto Ayrton Senna

Notícias
O Ministério Público do Amazonas (MPAM), por intermédio do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça...